André Ventura, Carlos Tendeiro, Edite Ramalhete, Tieres Neves

Chega queria proibir irmãos de estarem na mesma lista? Só para os outros partidos!

André Ventura queria limitar “relações familiares” no Governo, Parlamento e Autarquias. A sua proposta da revisão constitucional estabelecia “proibições absolutas de natureza constitucional” no exercício de cargos políticos por familiares, mas possivelmente seria só uma proposta para os outros partidos, pois o que se verifica no Chega são vários casos de Nepotismo.
O deputado único do Chega deu em março entrada na Assembleia da República uma proposta de revisão constitucional a que chamou “Projeto Mortágua”, devido às duas irmãs Mortágua serem ambas deputadas do Bloco de Esquerda.

A lei definirá as inelegibilidades de familiares para os diversos cargos políticos, sendo expressamente proibidas relações familiares de 1° e 2°grau dentro do Governo, do mesmo Grupo Parlamentar na Assembleia da República ou nas Assembleias Legislativas Regionais, ou ainda na mesma lista de candidatura a Órgão Regional ou Local

Na altura André Ventura questionava se faria sentido que o cônjuge trabalhasse como assessor ou assessora do titular de cargo político, ou que irmãos ou irmãs, pais e filhos, partilhassem assento no mesmo grupo parlamentar.
Tieres Manuel Gonçalves das Neves, militante n.º 135 do Chega, afirma publicamente o contrário. O dirigente do Chega de Faro, respondeu na sua página às acusações feitas por Carlos Tendeiro sobre Nepotismo de “dois irmãos como cabeças de lista, um para a Assembleia Municipal e outro para a Junta de Freguesia da Praia da Luz”, na sua página:

Anda aí uma grande confusão, com o nepotismo.
Por exemplo, dois irmãos, qual é o que pode ser candidato?
O primogênito? O macho?
Quem tem o pider de escolher?
Tu?
Haja paciência.
Nem tudo é arma de arremesso.
Moralistas cheios de falsa ética.
Já nos CHEGAva a Ética do facebook.
Ainda por cima por analfabetos.

Edite Ramalhete, ex-militante do Chega de Santarém, respondeu:

.. confusão??..confusos ficam os burros quando guiados por quem não sabe..é o que está a acontecer dentro do projecto.. claro que, não há problema nenhum, eles até são irmãos gémeos e voluntários, logo trabalham de graça (como pai, filha, filho, irmão do clã matias.)..eu fico é espantada consigo, depois de seguir os seus comentários há tanto tempo, vejo que ultimamente lá conseguiram encaixá-lo de modo a limpar o seu passado de infiltrado esquerdalha (dito e escrito por manuela estêvão ainda presidente do feudo de Santarém).. lembra-se??

Carlos Tendeiro, respondeu também a Tieres Neves:

E os analfabetos são os outros Ao cuidado do militante Tieres.
“Fará sentido que o cônjuge trabalhe como assessor ou assessora do titular de cargo político? Ou que irmãos ou irmãs, pais e filhos, partilhem assento no mesmo grupo parlamentar? Parece – nos efetivamente que não!”
“A denominação de projeto de revisão constitucional Mortágua é simbólica, atendendo à presença das duas irmãs no grupo parlamentar do Bloco de Esquerda, situação que deverá ser absolutamente de evitar em nome da transparência das instituições republicanas democráticas e do íntegro funcionamento das mesmas”, justifica André Ventura.
Tendo um Presidente de Junta lugar por inerência na Assembleia Municipal, não estaremos a falar do mesmo, a presença de dois irmãos na mesma Assembleia Municipal, do CHEGA?
Se André Ventura acha que se devia mudar a Constituição porque este tipo de situações são contra a ” transparência das instituições republicanas democráticas e do íntegro funcionamento das mesmas”, porque não se aplica no partido?

André Ventura quer mudar a CRP para não ter dois irmãos, na mesma assembleia sendo do mesmo Partido, mas o Partido tem listas de irmãos para a mesma Assembleia Municipal do Mesmo partido. Confuso, ou não, apenas não fazem o que André diz, ou seja, ele diz uma coisa e na sua casa fazem outra.

Tieres Neves comentou depois na página da Mesa da Assembleia do Chega de Faro:

Só quero que expliquem, qual a forma usada para excluir um irmão. Quem pode e quem será excluído, e claro o critério. O eleito será o PRIMOGÉNITO, O MACHO, O GAY ou o grupo sanguíneo? TEM DE HAVER UM CRITÉRIO. Deixem-se de falsos moralismos.

Carlos Tendeiro respondeu também nessa mensagem:

essa mensagem é para o André Ventura, certo? É ele que defende aquilo que pelos vistos o Tieres é contra, explique-me então qual é a forma usada pelo partido oara excluir alguém com cadastro, já que a lei não o faz. Mas olhe, é por isso que estou de saida, porque já vi que estou a mais quando luto contra o sistema e luto para que seja feito o que André Ventura defende, veja-se, até queria ou quer mudar a CRP por causa disso, mas pelos vistos para si, o que ele defende e critica nos outros, não é para se aplicar no Partido, ou seja, alguém anda aqui a defraudar as espectativas daqueles que acreditam na mudança, eu não sou de certezas, pois o que digo, faço.

Tieres Neves respondeu:

O amigo como causídico, comhece o termo ” Todos têm direito ao esquecimento, depois da pena….”
Se não deve nada à sociedade é livre.
Preocupe-se com os que devem.

Carlos Tendeiro contrapôs:

Tieres Neves com o português que sou, e pessoa de bem, não defendo uma coisa e depois faço outra. Isso sim 😉

Tieres Neves mais uma vez está a ir contra as ordens de André Ventura, contra o que ele defende e contra as espetativas das pessoas que apoiam isso mesmo, uma quebra do sistema. Está apresentando.

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Dirigente do Chega de Faro revela Nepotismo, um Cabeça de Lista condenado e pede a Desfiliação do partido

Ex-militante do Chega de Santarém revela motivos da sua expulsão, diz-se vítima de agressão e afirma que André Ventura manobra a mentira

Chega critica os Familygates na Política mas tem vários no Partido e na Direção

Partilhe

Leave a Reply