André Ventura, Cheganos Oficiais, Henrique Freire

André Ventura “felizmente” ficou à porta do Bairro da Jamaica mas ainda foi acusado de Racismo e de nada fazer pelos pobres

André Ventura foi hoje arranjar mais uma forma de ser notícia (é uma luta diária), ao visitar o Bairro da Jamaica, no Seixal, mas “felizmente” acabou por ficar à porta, não passando das imediações de prédios degradados.
O líder do Chega garantiu à imprensa que não foi à procura de problemas, apesar de ter um conflito judicial com alguns moradores por os ter apelidado de “bandidos”.
O comentador do CMTV, recorreu da decisão da primeira instância do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, que o obriga a pedir de desculpa, na SIC, SIC Notícias, TVI e na conta do partido no Twitter, à família do Bairro da Jamaica, a quem se referiu como “bandidos” durante um debate da campanha presidencial com Marcelo Rebelo de Sousa.
O líder do Chega foi acompanhado por um forte dispositivo de segurança da PSP e contou com uma comitiva de vários membros da Direção e com o apoio do cabeça-de-lista do Chega às eleições autárquicas para a Câmara do Seixal, Henrique Freire.
No final da visita André Ventura foi interpelado por uma moradora que segundo o Visão o acusou de “racismo” e de pouco ou nada fazer pelos pobres.
André Ventura antes de abandonar o Bairro questionou os poucos moradores que ainda se conseguiram aproximar do contingente de segurança, se “num prédio destes fazia sentido um BMW à porta”, mas nós respondemos, depende do BMW!

PODE QUERER VER TAMBÉM:

André Ventura vai recorrer da decisão do Tribunal e não vai pedir Desculpa

André Ventura e Chega têm 30 dias para pedir desculpa a família do Bairro da Jamaica

Sondagem a Seixal: CDU e PS disputam Câmara e candidato do Chega fica-se pelos 2% dos votos

Partilhe

Leave a Reply