André Ventura, Cheganos Oficiais, Inês Sousa Real

7 debates depois André Ventura venceu por “falta de comparência” e por ter deixado a “agressividade em casa”

7 debates de André Ventura, 6 derrotas e 1 vitória. No seu último debate o líder do Chega tinha à sua frente Inês Sousa Real e conseguiu finalmente vencer, mas há quem diga que foi por falta de comparência de líder da PAN e pelo facto de André Ventura ter baixado o tom, mudado de expressão e deixado a agressividade em casa.

João Vieira Pereira: Ines Sousa Real 4 – Andre Ventura 4

Um debate mais civilizado e equilibrado do que se poderia esperar. A recusa de Inês Sousa Real dizer quem admite apoiar no pós eleições, depois do pedido de noivado de António Costa, não se percebe. Até porque foi clara a apontar as suas linhas vermelhas e que estão no programa do PSD mas não apontou nenhuma que esteja no programa do PS. A insistência na questão ambiental, com recurso a demasiados termos técnicos, dificulta em muito a passagem da mensagem. E a recusa de responder sobre a questão do preço da eletricidade e dos combustíveis também não se compreende.
Já André Ventura escolheu insistir no proibicionismo do PAN, no elevado preço da eletricidade, dos combustíveis e nos impostos elevados, acusando o partido de Inês Sousa Real de ser também responsável por isso, por se ter colado ao PS. A mensagem passou. De resto nada de novo.

Paula Santos: André Ventura 5 – Inês Sousa Real 4

Foi um debate sem grandes surpresas onde a estratégia de Ventura se centrou em colar o PAN à governação do PS, por ter viabilizado os orçamentos socialistas e onde não perdeu a oportunidade de criticar a falta de clareza de Inês Sousa Real sobre a equidistância PS/PSD sugerindo, mais do que uma vez, que o PAN devia ir a votos coligado com o partido socialista. Para o líder do Chega, o PAN é o partido do proibir, proibir, proibir, ao mesmo tempo que não impede o aumento da carga fiscal. A porta-voz do PAN passou grande parte do debate a justificar as decisões do partido e repetiu as ideias que já deixou em cima da mesa em vários debates, sem apresentar novidades. Ventura acabou a esclarecer uma medida recentemente anunciada pelo partido sobre a obrigatoriedade de trabalho comunitário para quem recebe subsídio de desemprego. Parece que afinal já não é bem assim e ficou à vista um claro recuo do líder do Chega. Com o tom do debate mais dentro dos padrões tradicionais, André Ventura conseguiu ser mais certeiro na argumentação e Inês Sousa Real teve mais dificuldades em traçar as linhas vermelhas que o PAN invoca para se posicionar entre PS e PSD.

Martim Silva: Inês Sousa Real 3 – André Ventura 3

Um dia depois de António Costa, no debate com Rui Rio, ter colocado o PAN na primeira linha da política nacional, ao mencionar o partido como um parceiro ideal numa futura aliança de governação à esquerda, saída das eleições legislativas, Inês Sousa Real apareceu esta tarde na SIC Notícias para um frente a frente com André Ventura. Mas não se pode francamente considerar que este tenha sido um grande debate, ou sequer particularmente interessante ou estimulante. Ventura ainda tentou forçar a nota na falta de consistência de um partido que admite aliar-se ao PS ou ao PSD e até tentou roubar a Sousa Real o monopólio de defesa dos animais, dizendo “sou louco por animais”. Esta apresentou as suas causas, mantendo grande serenidade mas sem se revelar particularmente afirmativa.

Filipe Garcia:  Inês Sousa Real 3 – André Ventura 4

E ao último debate, André Ventura baixou o tom, mudou de expressão e deixou a agressividade em casa para enfrentar o PAN. Do outro lado, Inês Sousa Real voltou a ser incapaz de explicar se lhe é indiferente um governo PS ou PSD – embora tenha sido clara em traçar a linha vermelha em torno da aposta nos eucaliptos proposta pelo PSD –, de defender a proibição de touradas, caça e pesca desportiva ou, sequer, de conseguir afastar a imagem de partido das ‘taxas e taxinhas’. Ao longo do debate, o único momento complicado para o líder do Chega chegou mesmo quando Rosa Oliveira Pinto perguntou pela proposta que tem para que seja obrigatório trabalho comunitário a quem recebe subsídio de desemprego ou outro apoio estatal. Deu para tudo. Até para ouvir o líder do Chega dizer que “tem de se respeitar quem gosta de coisas diferentes”. Inês Sousa Real nem comentou. No final Ventura ganhou por falta de comparência.

PODE QUERER VER TAMBÉM:

André Ventura sofre nova derrota em confronto à moda dos debates de comentadores de futebol do CMTV

Debate de Francisco Rodrigues dos Santos e o “Rei da Bazófia” André Ventura

Rui Tavares “Arrasou” André Ventura! Comentadores do Expresso dão vitória clara ao líder do Livre

Partilhe

Leave a Reply