André Ventura, Cheganos Oficiais, João Sousa

Líder de lista que impugnou no TC as eleições no Chega Madeira foi colocado de castigo por 6 meses “André Ventura é cúmplice”

João Filipe Camacho de Sousa, líder da Lista B ao ato eleitoral de 12 de março para direção regional do Chega Madeira, que apresentou no Tribunal Constitucional uma ação de impugnação de eleições, foi castigado por 6 meses pela Comissão de Ética e vai ser proposta a sua expulsão ao Conselho de Jurisdição.
O candidato à liderança do Chega Madeira acusou recentemente André Ventura de ser “cúmplice, de uma verdadeira vergonha, Ventura sabe e tem conhecimento dos contornos pouco claros, dos atropelos aos estatutos e das aldrabices praticadas nas eleições ao Chega Madeira”.
No dia 19 de agosto, João Sousa respondeu num grupo público ao ao Chega Madeira, que o acusou de não saber perder com dignidade:

Venho por este meio alertar aos militantes que me têm enviado mensagens sobre a publicação enganosa na página do Chega Madeira em uma tentativa clara de ludibriar os militantes do Chega Madeira, que a comunicação feita pela direção do Chega Madeira não corresponde à verdade, o Tribunal Constitucional apenas decidiu não se pronunciar sobre a impugnação feita as eleições no CHEGA Madeira a 12 de Março, devido ao facto de o conselho de Jurisdição do partido ter alargado o prazo para 180 dias sobre a decisão da impugnação feita pela Lista B, sendo que essa informação só foi nos dada a conhecer através do Tribunal Constitucional, assim sendo vamos aguardar pelos prazos legais. Agradeço ao grande numero de militantes as mensagens recebidas. Dignidade, transparência e verdade acima de tudo.

Pode consultar aqui o Acórdão Nº 539/2022 do Tribunal Constitucional.
João Sousa, que é administrador do grupo público Creditar Chega, escreveu nessa página no sábado:

André Ventura é cumplice, de uma verdadeira vergonha, Ventura sabe e tem conhecimento dos contornos pouco claros, dos atropelos aos estatutos e das aldrabices praticadas nas eleições ao Chega Madeira. Existe uma impugnação a decorrer e estes senhores têm denegrido a imagem do CHEGA e do Chega Madeira. O CHEGA não é André Ventura, o CHEGA era a esperança na mudança, de muitos portugueses desacreditados, mas deixou de o ser para se tornar no SISTEMA. Por isso André Ventura não merece confiança e muito menos um voto de confiança… se quer dar o exemplo André Ventura comece por dar um bom exemplo dentro de “casa” de forma a ser exemplo na sociedade e para os portugueses senão corre o serio risco de ficar conhecido como o maior impostor da Politica portuguesa, já temos muitos não queremos mais!
#tenhamvergonha
#CHEGAdePALHAÇADA
#RUAcomCORRUPTOS
#RUAcomALDRABOES

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Arraial do Chega da Madeira foi um “enorme” sucesso com “220 pessoas”, o mesmo que dizer umas 50

Diretor da Comunicação do Chega Madeira diz que “usar uma ação de Deus para aproveitamento político é do mais baixo que existe”

Deputado açoriano diz que as Eleições do Chega nos Açores e na Madeira são irregulares e avança com cerca de 10 casos graves

Partilhe

1 Comment

  1. Miguel Pita

    “180 dias de suspensão com proposta de expulsão” …
    Este é o resultado de não pactuar com as ilegalidades e atropelos aos próprios regulamentos e estatutos do Partido CHEGA, com a conivência da Mesa Nacional e protecção de alguns membros próximos da Direcção Nacional, incluindo o próprio Líder do partido que permitiu que tudo isto sucedesse na Região Autónoma da Madeira.
    Estou solidário com o João Sousa e por manifestar esse apoio nas redes sociais, apanhei também o mesmo “castigo” e ainda nem havia terminado o anterior que era de 90 dias.

Leave a Reply