André Ventura, Pedro Frazão, Ricardo Regalla Dias, Rui Rio

Dirigentes do Chega aproveitam morte de Otelo Saraiva de Carvalho para o atacar

Dirigentes do Chega aproveitaram a morte de Otelo Saraiva de Carvalho, estratega do golpe do 25 de Abril, para o atacar. O capitão de Abril foi acusado de ser líder, apesar de sempre o recusar, das FP-25 de Abril, uma organização terrorista de extrema-esquerda, que operou em Portugal entre 1980 e 1987, e à qual foi imputada a autoria de 13 mortes e de dezenas de atentados.
André Ventura comentou na sua página:

O juízo sobre a sua alma pertencerá definitivamente a Deus, mas se este país fosse justo Otelo Saraiva de Carvalho deveria ter morrido na prisão!

Pedro dos Santos Frazão, Vice-Presidente do Chega, aproveitou o momento:

Rezo hoje pela alma do terrorista assassino que entre 1980 e 1987 liderou as FP25, uma organização comandada pelo próprio Otelo Saraiva de Carvalho, que cometeu mais de uma dezena de homicídios, atentados à bomba, assaltos a bancos e a viaturas de transporte de valores.
A justiça terrena ilibou-o e o socialismo indultou-o! Que a ira de Deus que detesta de forma absoluta o pecado, seja misericordioso com a sua alma.

Ricardo Regalla, Vogal da Direção do Chega:

Que a terra lhe seja tão pesada quanto pesado ele foi a muitos!
Agora é a hora do Julgamento mais imparcial da “vida” dele… a esse ninguém escapa e nele não há indultos nem amnistias!

Curioso, só mesmo o silêncio de Diogo Pacheco de Amorim, membro da Direção do Chega, e ex-membro do Gabinete Político do Movimento Democrático de Libertação de Portugal (MDLP), que viu a sua estrutura militar protagonizar centenas de atentados e acções violentas, que resultaram na morte de múltiplos inocentes.
Rui Rio, líder do PSD, comentou na sua página:

O dia da morte de Otelo Saraiva de Carvalho é momento para reconhecer o seu papel corajoso e decisivo no 25 de Abril e na conquista da liberdade. Competirá à História fazer, com isenção, a avaliação global de tudo que ele fez de bom e de mau. Hoje, não é o dia para isso.

Francisco Louçã, ex-líder do Bloco de Esquerda, comentou na SIC, e disse que Otelo merece a gratidão por ter liderado o 25 de Abril, por ser uma figura da história, controverso devido à sua ligação às FP25 de Abril, condenado, apesar de sempre o negar, … quanto às vozes saudosistas da ditadura, diz que é normal não gostarem de Otelo Saraiva de Carvalho.

Partilhe

Leave a Reply