Cheganos Oficiais, Pedro Magrinho

Correio da Manhã escamoteou notícia e afinal a PSP não autorizou o Presidente do Sindicato da Polícia a ser candidato do Chega e vai instaurar inquérito

O Correio da Manhã, jornal com várias ligações à polícia e ao mundo Chegano, anunciou ontem, que a Direção Nacional da PSP autorizou a candidatura de Pedro Magrinho, no entanto quem visita a mesma página hoje encontra informação contrária.
O Correio da Manhã, no seu artigo publicado ontem às 14h30 por Miguel Curado escreveu:

A Direção-Nacional da PSP autorizou a candidatura de Pedro Magrinho, um chefe que presta serviço na Divisão de Sintra, à presidência da União de Freguesias de Bobadela, São João da Talha e Santa Íria de Azóia, em Loures.
Esta é a primeira candidatura autárquica autorizada pela Polícia de Segurança Pública. Recorde-se que, de acordo com a lei eleitoral para os órgãos autárquicos, os elementos das forças de segurança são inelegíveis nos atos eleitorais para o poder local.

No entanto quem visita agora a mesma página (agora = 20/agosto/2021 17h00 gmt+1) já encontra outro conteúdo:

A PSP nega que a Direção-Nacional daquela polícia tenha autorizado Pedro Magrinho, um chefe que presta serviço na Divisão de Sintra, à presidência da União de Freguesias de Bobadela, São João da Talha e Santa Íria de Azóia, em Loures. “Não compete à PSP autorizar ou proibir os seus polícias a candidatarem-se a eleições autárquicas ou legislativas”, refere um comunicado das relações públicas da corporação.
“A Lei eleitoral dos órgãos das autarquias locais (Lei Orgânica n.º 1/2001, de 14 de agosto) proíbe que os polícias na situação de ativo (ao serviço efetivo) sejam candidatos a órgãos do poder local”, refere o citado comunicado. Assim sendo, e “atendendo a que o mesmo [Pedro Magrinho] se encontra, à data de hoje, ao serviço ativo (serviço efetivo), a PSP irá instaurar um inquérito para averiguar as circunstâncias acima referidas”.

A mensagem e o título da notícia do Correio da Manhã foram alterados sem qualquer indicação de terem sido editados, o que vale é que ainda existe o cache do Google, para não pensarmos que estamos “malucos”.
Segundo o Jornal Económico de hoje, a direção nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) vai instaurar um inquérito para averiguar se um agente é candidato pelo Chega às eleições autárquicas em Loures, distrito de Lisboa.
A polícia esclareceu também que não compete à PSP autorizar ou proibir os seus polícias a candidatarem-se a eleições autárquicas ou legislativas, limitando-se a cumprir a lei em vigor.
A direção da polícia refere que já apresentou também uma proposta “para que, numa eventual revisão da Lei Eleitoral para a Assembleia da República, seja igualmente proibida a candidatura de polícias na situação de ativo (ao serviço efetivo) à semelhança do que está previsto na Lei eleitoral dos órgãos das autarquias locais, de forma a garantir a imparcialidade e apartidarismo que devem caracterizar os polícias da PSP”.

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Primeiro PSP autorizado a ser candidato a uma Autarquia é do Chega e é presidente de Sindicato da Polícia

Líder de Sindicato da Polícia quer que o Chega seja ilegalizado e diz que há quem pague para ser deputado

Chega suspendeu por 90 dias o líder do Sindicato Unificado da Polícia “Abandono, desiludido com o André”

Racismo ou Má formação? Uma Chefe da polícia agride passageiro “sem bilhete” com pontapé nas “partes baixas” (vídeo)

Partilhe

Leave a Reply