Cheganos de outros partidos, Paulo Rangel

Paulo Rangel prefere governar sem maioria do que fazer acordos com o “partido radical” Chega

Paulo Rangel, candidato a Presidente do PSD, foi entrevistado ontem à noite na TVI, onde admitiu acordos ou coligações com o CDS ou com o Iniciativa Liberal, mas afasta a possibilidade de incluir o Chega.
Questionado pelo jornalista sobre o “Cordão sanitário ao Chega”: Se a chegada do PSD ao Poder dependesse do apoio do Chega, preferia não subir ao Poder?

O Governo do PSD nunca será feito com um partido radical, de direita, ou de esquerda. Não será necessariamente entregar o poder à esquerda, já tivemos a experiência da gerigonça, Portugal já teve governos minoritários, o primeiro governo de Cavaco Silva teve 29%, com grande sucesso, …
Temos todas as condições para uma maioria absoluta, com 42/43%, o centro direito consegue uma maioria absoluta, há todas as condições para isso, mas se isso não acontecer, há condições para governar.

PODE QUERER VER TAMBÉM:

André Ventura faz campanha no PSD por Rui Rio “Paulo Rangel não pode ser o próximo líder! É frouxo”

Paulo Rangel diz que não faz acordos com o Chega “não faz parte da direita moderada”

Partido Chega foi criado como Movimento para destituir Rui Rio do PSD

Partilhe

Leave a Reply