Carlos Silva Monteiro, Cheganos Oficiais, José Dias, Rodrigo Alves Taxa

Ex-Vice-Presidente do Conselho de Jurisdição do Chega acusa atual Presidente de ser um “mentirososeco”

Carlos Silva Monteiro, na foto em cima, ao lado do seu “amigo” André Ventura, terminou no passado dia 1 de junho, o seu mandato como Vice-Presidente do Conselho de Jurisdição do Partido Chega, e nesse mesmo dia publicou o “Auto da Fé”, onde fez ataques ao novo Presidente Conselho de Jurisdição do Partido Chega, Rodrigo Alves Taxa (na foto em baixo), a quem acusou de ser um “mentirososeco”, que lutou com armas desiguais, recorrendo à mentira repugnante.
O ex-aluno de André Ventura ameaçou ainda nessa mensagem que iria “queimar, destruir, as dezenas de Processos que elaborei com tanto gosto e despesa, durante estes dois anos de Jurisdição”, mas uma hora e meia depois, editou a sua mensagem e apagou todo o seu Auto da Fé, que só está disponível se consultar a edição da mensagem.

………………………………………… AUTO DE FÉ ………………………………………..
Termina hoje o meu mandato como Vice Presidente do Conselho de Jurisdição do Partido Chega.
Morrendo e aprendendo, como diz o velho ditado, aprendi que há indivíduos de tal maneira ignóbeis que repugnam só pensar neles.
Eleições para o Conselho de Jurisdição: Andou a mandar telefonar para todos os presidentes das distritais a mandar votar nele, pois seria o candidato escolhido por André Ventura. Avisei-o, mas em vez fazer um desmentido, como homem digno, calou-se para usurpar o lugar de qualquer outro candidato sério.
Prometeu mundos e fundos. Por a Jurisdição em ordem. Não deixar que processo algum demorasse mais de 10 dias a ser elaborado, etc. Ideias copiadas do meu programa, que foi publicado com transparência, uns dias antes, para que o eleitor o lesse e ponderasse.
Mas agora pergunto: Fez ontem um ano, sim , UM ANO que esse miserável foi trabalhar para o Conselho de Jurisdição. Das dezenas de processos que lhe foram entregues, quantos ele elaborou? NENHUM. ZERO- Nem o fez, nem o sabe fazer, mas esqueceu-se de dizer isso. Cá estaremos para ver se ele cumpre e se cumpre bem. Duvido.
Eu, sim. Eu poderia ter dito que era o indicado pelo Excelentíssimo Presidente, André Ventura. Muitas mensagens me enviou o Doutor André Ventura, pedindo-me para não sair do Conselho, pois queria entregar-mo no fim deste Maio. Essas mensagens que muito me honram, mostrava-as aos amigos, da Direcção do Partido, ou Conselheiros. Muitos as leram. E sabem porque o não fiz? Primeiro porque sou um Homem, não um badameco. Tenho Honra, coisa que esse rapaz nem sabe o que é. Se eu o fizesse estava a lutar com armas desiguais, embora minhas. O rapaz, para ganhar preferiu lutar com armas desiguais , recorrendo à mentira repugnante. Um mentirososeco.
Vamos ver como corre o desempenho da Jurisdição, mas não se esqueçam: Ganharam em mim um inimigo. E eu sou muito dificil como inimigo.
Mas o título é : Auto de Fé e eu desviei-me do que ía dizer. Vou queimar, destruir, as dezenas de Processos que elaborei com tanto gosto e despesa, durante estes dois anos de Jurisdição. Custa-me. Custa-me imenso. Faço-o com um nó na garganta, mas não quero que nesta casa fique a mais ténue recordação do meu passado nesses Conselho.-

Conselho de Jurisdição foi a votos no dia 30 de maio de 2021, 3º Congresso do Chega, em Coimbra, com três listas diferentes, que deram a vitória à lista B, liderada por Rodrigo Taxa, com 201 votos (54% da votação), contra a lista C, de José Dias, com 94 votos, e da lista A, de Carlos Monteiro, com 64 votos.

Partilhe

Leave a Reply