Últimas Notícias

Domingo contou com mais 3 episódios da série “Portugal não é racista”

Ontem foram registados mais 3 episódios da série “Portugal não é racista”. Há dois anos atrás, em agosto de 2020 (no tempo em que o partido de extrema-direita ia para as ruas manifestar-se) André Ventura e o Chega percorreram as ruas de Lisboa para dizer que “Portugal não é racista”, onde participaram alguns dirigentes do Chega que depois disso até denunciaram casos de racismo.
Este domingo foi mais um dia de casos denunciados na imprensa, e a página do Facebook “Ventiras, Menturas e Andrébices” fez um apanhado:

  • Os filhos dos artistas brasileiros Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso, Titi e Bless, foram vítimas de racismo num restaurante na Costa da Caparica, onde a família passa férias. A suspeita de racismo, que foi detida e depois libertada, pedia que eles e um grupo de angolanos saíssem do local e voltassem para a África, além de chamá-los de “pretos imundos”.
  • O Wolverhampton jogou ontem em Faro, e acusa os adeptos do Farense de atitudes racistas para com um jogador da equipa inglesa. Num comunicado colocado nas redes sociais, o clube inglês informa que vai reportar o caso à UEFA.
  • A Federação Portuguesa de Basquetebol aplicou ontem um castigo de dois jogos a Ivan Almeida, extremo cabo-verdiano do Benfica que foi alvo de insultos racistas por parte dos adeptos do FC Porto no terceiro jogo da final do ‘play-off’ da época 2021/2022.
PODE QUERER VER TAMBÉM:

Candidato do Chega a Vice-presidente da Assembleia da República diz-se vítima de racismo no Parlamento

Luc Mombito, que foi vítima de Racismo mas participou em manifestações a negar Racismo, regressou ao Twitter

Chega diz que o Plano de Combate ao Racismo “limita liberdade de expressão”

Partilhe

Leave a Reply