Cheganos Oficiais, Diogo Pacheco de Amorim, Manuel Matias, Pedro Arroja, Pedro Frazão, Rita Matias

Diogo Batáguas não perdoa os dirigentes do Chega que tiveram direito a destaque no Relatório mensal

O Relatório de Janeiro do humorista Diogo Batáguas não perdoa os dirigentes do Chega. O partido de André Ventura foi o grande tema deste mês com destaques para Diogo Pacheco de Amorim, Gabriel Mithá Ribeiro, Rita e Manuel Matias, Filipe Melo, Pedro Frazão, Pedro Arroja: “Quem dizia que o Chega era só o André Ventura? Não tinha razão! Era muito mais e muito pior! É o partido que deseja … a moral Salazatista, assente no preconceito sexual, o racismo e xenofobia…”

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Francisco Louçã não perdoa o “Mentiroso” Pedro Frazão e espera ansioso que ele recorra para Tribunais Supremos

Mandatário do Chega às Legislativas de 2022 admira Salazar, foi condenado por difamação e acha que “Elevar mulheres à direção de partidos é enfraquecer”

Rita Matias comparada à Assistente Virtual Siri e afinal a única deputada do Chega tem também mérito por “engraxar bem André Ventura”

Partilhe

Leave a Reply