Cheganos Oficiais, Filipe Melo, Mónica Lopes

Líder de Lista Independente a Braga acusa Presidente da Distrital do Chega de ser a “favor de novas formas de PIDE”

Mónica Lopes, líder de Lista Independente do Chega Braga a Delegados para o IV Congresso Nacional, acusa o Presidente da Distrital de Braga, Filipe Melo, de preferir a ditadura de opinião e de sentido de voto: “ao pedir expulsão para quem ‘vota diferente’, demonstra de forma inequívoca que é a favor de novas formas de PIDE”:

Um partido político é feito de militantes.
Um partido político é feito de fações e opiniões.
Fazer política é fazer pontes entres as diversas formas ideológicas de ver o mesmo partido.
Chamar ratos a quem pensa diferente é coisa de ignorante, é reflexo de falta de cultura política, falta de sentido democrático.
Se há eleições para a direção do partido é para expor ideias e formas diferentes de DIRIGIR internamente o partido.
E nessa exposição de ideias ambos os candidatos ganham, os militantes ganham, o partido ganha; logo o país ganha!
Internamente ninguém vota em A por querer “matar” o B.
Somos todos CHEGA!!
Dizer que quem vota ou apoia o candidato que eventualmente vai perder…deve ser expulso é reflexo de mente pequena e atrofiada. Pior, é uma ameaça indigna de gente que prefere viver em regime partidário totalitário.
Filipe Melo, aspira a ser deputado numa república democrática, mas ontem no jantar de apoio em Fafe, afirmações claras de preferir a ditadura de opinião e de sentido de voto.
Filipe Melo ao pedir expulsão para quem “vota diferente”, demonstra de forma inequívoca que é a favor de novas formas de PIDE.
Nasci em 1969, tenho uma tênue ideia do que se viveu em 74 e 75, mas se há coisa que não quero é deixar ao leme deste país, políticos que possam colocar em risco a liberdade dos meus filhos ou netos.
Serei sempre democrata, se consigo conviver com amigos e familiares que votam PS ou BE…porque não serei capaz de me sentar á mesa com colegas que votam André e Natal?
Segundo a ideia da democracia distorcida do presidente da Distrital de Braga, resta-me deixar as seguintes perguntas:
Quando André ventura foi a votos para presidente da República Portuguesa teve um resultado digno de registo, diria até magnífico e fantástico!
Mas perdeu, certo?
Alguém, em seu juízo perfeito, pediu a expulsão do nosso presidente, André ventura, de Portugal?
Faria sentido o Marcelo Rebelo de Sousa, na posição de vitorioso, pedir a expulsão de André?
Claro que não!!
Somos CHEGA
Somos democratas!
Afirmamos o mesmo que muitos portugueses:
André Ventura é e será a melhor voz do CHEGA na assembleia da república!
Quero ainda salientar que nem eu, nem nenhum dos elementos integrantes da LISTA A está em campanha eleitoral para presidente do partido, do país ou sequer para deputados da nação.
Não somos candidatos a nada disso e manifestamos a nossa INDEPENDÊNCIA dizendo apenas que cada um de nós votará no MELHOR!
Somos, apenas, uma lista de militantes que querem fazer parte da vida política do partido. Acreditamos piamente que nós podemos e devemos ajudar a defender o CHEGA.
DEMOCRACIA E TRANSPARÊNCIA… é não ter MEDO da pluralidade de opinião!!
É crescer na diversidade mantendo Portugal em primeiro lugar e o CHEGA logo a seguir.
Expulsar, sanear ou suspender faz-nos mais fracos!
“Oposição” política, cá dentro, faz-se com elevação, com pontes e agregação.
Só isso nos fará melhores, maiores e mais fortes!
Somos todos CHEGA!
Em Braga, LISTA A é democracia.
Mónica Lopes

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Grupo dos “Originais” apresenta Lista de Delegados em Braga pela Democracia e Transparência e contra o Amiguismo e Nepotismo

Filha da Vice-presidente do Chega Braga faltou à tomada de posse para a Assembleia Municipal

Vereador e Deputados do Chega em Loures partilharam foto a tocar na Cadeira “errada” onde o “Deus” André Ventura se sentava?

Partilhe

Leave a Reply