Cheganos Oficiais, Joaquim Chilrito, Mónica Lopes

Lista da Oposição conseguiu 22% e elegeu 17 Conselheiros Nacionais mas a líder recebeu apupos e assobios

No IV Congresso Nacional do Chega estiveram a votos para o Conselho Nacional duas listas, uma proposta por André Ventura e liderada pelo Conselheiro Nº 1, João Tilly, e outra feita durante o próprio congresso de Viseu, liderada por Mónica Lopes, que comandou a lista da oposição pela Democracia e Transparência de Delegados a Braga que tinha como lema a luta contra o Amiguismo e Nepotismo.
A votação foi feita com voto secreto, ao contrário do voto de braço no ar praticado durante o congresso, o que provocou um aumento da percentagem da oposição, que conseguiu eleger 17 elementos, contra 53 da candidatura oficial, o que significa que 22 por cento dos 489 votantes estão conotados com a oposição interna.
Maior relevo tem este resultado se não nos esquecermos que a maior lista “contestatária” foi impedida de ir a votos. A Lista A de Lisboa que integrava mais de uma centena de candidatos, e onde era previsível que elegesse algumas dezenas de Delegados.
A lista da oposição ao conselho nacional, que integra militantes de tendências variadas, como por exemplo o militante do Chega que a Direção Nacional quis expulsar depois deste apresentar uma moção em que propunha retirar os ovários às mulheres que fizessem o aborto, inclui entre outros, Joaquim Chilrito (um dos históricos do partido) e Nelson Dias da Silva (ex-secretário da Mesa da Convenção Nacional).
A líder da lista B foi aplaudida, assobiada e apupada quando subiu ao púlpito, no final do congresso: “Vamos olhar sempre os princípios que fundaram este partido”, afirmou Mónica Lopes, debaixo de aplausos e apupos.

Joaquim Chilrito partilhou o print da notícia do Observador que dava conta dos “Assobios e Apupos contra líder da lista alternativa ao Conselho Nacional” e escreveu na sua página:

INADMISSÍVEL e INACREDITÁVEL…!!!
Foi o que se passou há minutos no Congresso do CHEGA, quando a Militante Monica Lopes, cabeça da Lista B ao Conselho Nacional, tentou falar.
A atitude de um grande número de delegados, roça a mais baixa postura, que alguém que faz pretensão de ter alguma responsabilidade política, pode apresentar!!
Tentar axincalhar a Lider de uma Lista que conquistou 17 lugares no Conselho Nacional (25% da sua totalidade) perante o Presidente do Partido, é para além de um atropelo às mais elementares regras da democracia,
…VERGONHOSO!!
Tudo isto quando se afirma pretender estabelecer uma união e coesão interna…!!
O Partido não merece este nivelamento por baixo!!
O CHEGA seria suposto ser diferente…!!

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Militante do Chega que apresentou Moção para retirar os ovários às mulheres foi eleito Conselheiro Nacional

Ex-candidato do Chega à Câmara da Régua entregou o cartão de militante “É um partido igual aos outros com a única exceção de ter um líder com o dom da palavra”

Chega queria maior representatividade do Norte na Direção? Afastou uma portuense e meteu um açoriano

Partilhe

Leave a Reply