Cheganos Oficiais, Pedro Bandeira Calheiros

Jovem de Viseu acusa Candidato do Chega de ser um dos agressores e que os insultos homofóbicos começaram há cerca de meio ano

Um jovem de 26 anos, de Viseu, acusa Pedro Calheiros, Vice-Presidente da Distrital do Chega e candidato à Câmara Municipal de Viseu de ser um dos agressores.
José Pedro Correia disse à TSF que foi insultado e agredido por dois militantes do partido de André Ventura e que os insultos homofóbicos começaram há cerca de meio ano, junto à loja onde trabalha e que fica localizada junto à sede do Chega em Viseu. Segundo o jovem, na passada quarta-feira, fartou-se de ser insultado e confrontou a pessoa que teimava em chamar-lhe nomes:

Eu estava a trabalhar e a programar a chave a uma cliente, ele estava sentado com os militantes do Chega numa esplanada ao qual se referiu a mim como Maria Papoila em frente a um cliente meu. Eu virei-me para ele e disse-lhe se me conhecia de um algum lado. [Depois] entrei no meu estabelecimento e quando sai ele dirigiu-se a mim: queres levar duas chapadas? Eu respondi que não falava com imbecis e ele começou a bater-me.

Terá sido agredido na cara, corpo e braços, defendeu-se, mas segundo conta, no meio da confusão foi agarrado por trás por uma pessoa, que mais tarde descobriu ser Pedro Calheiros, o candidato do Chega à Câmara de Viseu.

Fui agarrado por trás. Foi o dr. Pedro Calheiro e o [agressor] continuou a bater-me. O meu colega apercebeu-se da situação, saiu do estabelecimento e tirou-o de cima de mim.

A proprietária de um café próximo do local onde ocorreram as agressões confirmou à TSF a versão do que que aconteceu e a vítima vai agora apresentar queixa nas autoridades:

Vou fazer uma queixa crime contra a pessoa em questão por danos materiais e por uma questão de dignidade e de honra.

José Pedro Correia chamou a polícia depois de tudo o que aconteceu, mas o jovem acusa um agente de o ter tentado intimidar, mas ainda não sabe se vai também apresentar queixa contra o polícia em causa:

O polícia entrou no meu estabelecimento e perguntou se eu tinha a certeza absoluta que queria fazer queixa. Será porque o senhor Pedro Calheiros foi um ex-coronel ou tenente da PSP e então foi uma maneira de me tentarem intimidar para que eu não desse seguimento ao caso

Chega reagiu em comunicado e revelou que “mantém integral confiança nos seus candidatos e na sua estrutura local e distrital, em Viseu, sendo certo e incontornável que rejeitará sempre quaisquer atos de violência, seja quais forem os motivos subjacentes”.
Pedro Osório Bandeira Calheiros, candidato do Chega à Câmara Municipal de Viseu, já utilizou várias vezes a sua página no Facebook para fazer comentários de cariz homofóbico, como foi o caso em 26 de janeiro de 2021, onde comentou uma notícia sobre José Carlos Malato:

Vergonha é entregar o traseiro à paródia, ó raparigo!

Antes, em 11 de Janeiro de 2019, publicou mais uma notícia de Malato e escreveu: “O que ele quer, sei eu… “, e para responder um seu seguidor que disse: “Não sei porque não hao-de casar os gajos. Já são mais os gays que os outros. E ainda nem metade estão declarados”, comentou na mesma mensagem:

a maior parte não são gays. São mesmo paneleiros. Rôtos.

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Candidato do Chega a Viseu fez comentários polémicos sobre Bruno Candé e Diogo Infante

LGBT para o candidato do Chega à Câmara de Viseu significa Liquor, Guns, Bacon and Tits?

Militantes do Chega de Viseu acusados de agredirem homossexual! Candidato à Câmara faz comentários homofóbicos

Partilhe

Leave a Reply