Carlos Breda, Cheganos Oficiais, José Mota

Ex-candidato do Chega a Pombal não aceitou ser candidato à Mealhada e afirma que existe muita falta de transparência

Carlos Breda, militante do Chega que desistiu da candidatura do partido de André Ventura à Câmara Municipal de Pombal, por “motivos de saúde”, diz que um dia publicará uma das razões para a sua desistência a presidência da Câmara de Pombal e a recusa da Mealhada.
Carlos Breda escreveu na sua página no Facebook:

Um dia publicarei uma das razões da minha desistência a presidência da Câmara de Pombal e a recusa a da Mealhada…

E comentou na mesma mensagem:

Aconteceu o que eu temia… Muita desorganização e falta de transparência na de Aveiro…

Não tem o minimo de conhecimento politico

Carlos Breda escreveu depois:

Quando se concorre a uma Camará é para ganhar… Agora ir buscar pessoas a qualquer preço só para preencher fichas isso é derrota

Falo pela Mealhada


José Mota, Mestre de Kenpo Kombat e Presidente da Associação Portuguesa Kenpo Kombat, que lidera a lista do Chega à Mealhada, partilhou a foto dos membros da lista, e escreveu na sua página:

Eu, José Mota, estou aqui para ajudar e não para “lutar” contra ninguém nem contra nenhum partido. Se apoio o partido CHEGA, é simplesmente porque me identifico com a maioria das suas ideias. Ideias essas que todos nós falamos no café, ou no convívio nas nossas casas. Podemos fazer de conta que não falamos, por querermos ser politicamente correctos, mas que é um facto é. Quem me conhece e quem não me conhece fica a saber que não sou racista, não sou xenófobo e que respeito todas as pessoas independentemente de quem são. Não me revejo na caracterização que os meios de comunicação (comprados e manipulados) tentam passar para a população mais sugestiva e menos informada sobre as ideias do partido CHEGA e André Ventura.
O partido CHEGA, é um partido recente e como tal está a crescer. Se às vezes falha na passagem da mensagem, é porque quer tanto mostrar o que pode fazer, que se entusiasma e como um adolescente rebelde, acaba por ser mal-entendido. Mas temos vindo a crescer e aos poucos e poucos, estamos a conseguir mostrar que há uma alternativa ao poder institucionalizado. Há uma alternativa que quer dar dignidade a Portugal e aos Portugueses. Que quer ajudar a transformar Portugal num país de referência e não de “chacota”. Quanto à criação do partido CHEGA aqui na Mealhada, a intenção é dar a todos os munícipes, mais uma opção de escolha. De momento somos poucos, temos pouca experiência, mas muita vontade de ajudar a elevar ainda mais o nosso Concelho a nível nacional e internacional, de modo que sejamos um exemplo a seguir por outros Concelhos e em que as pessoas se orgulhem de morar aqui e tenham orgulho e condições para aqui trabalhar, assim como eu tenho.
Este Concelho adoptou-me há 45 anos, deu-me uma infância, uma adolescência e tornou-se a minha terra. Terra esta onde criei família e onde trabalho. Deu-me tanto que sempre me senti, não com a obrigação, mas com o desejo de retribuir. Quem sou hoje, devo-o à minha família, aos meus amigos de infância e a este Concelho e penso que ao longo dos anos, tenho contribuído de alguma forma para o dignificar.
Ajudar a criar um partido de raiz como o CHEGA, espero que seja mais um contributo para a diversidade de pensamento e de opções. Onde há lugar para quatro coisas tão distintas como: Água, Pão, Vinho, Leitão, também haverá lugar para mais um partido com ideias que irão ao encontro de muita gente que não encontra nos outros partidos, as suas convicções.
Como disse no início, estou aqui para ajudar e não para “lutar” contra. O meu respeito por todos os partidos/pessoas que se colocam ao serviço dos outros, é enorme e merecem a nossa admiração. Pessoas que ao longo dos anos se têm exposto ao escrutínio, que têm dado do seu tempo, têm dado das suas vidas, têm mostrado as suas forças e a suas fraquezas, têm lutado por algo melhor, merecem que eu esteja aqui para ajudar a remar e não para puxar para trás. Há muitos anos que têm sido essa a minha postura e continuará a ser. O CHEGA, é mais um meio que eu penso ter encontrado, para continuar a ajudar no que me for possível.
Para finalizar, agradeço a todos os elementos do ainda “pequeno” grupo que está a ajudar a criar o partido CHEGA aqui no Concelho da Mealhada.

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Candidata do Chega a Vendas Novas vende artigos de Bruxaria e dá consultas de Cartomancia no Facebook

Humberto Baião desistiu da candidatura pelo Chega à Câmara de Évora por estar em confronto com as estruturas locais

Presidente da Mesa de Assembleia de Faro do Chega pediu a exoneração por não ter respostas do CJN e da Comissão de Ética

Partilhe

Leave a Reply