Anti Cheganos, Luc Ngambo Ngunda Mombito, Mamadou Ba, Patrícia Carvalho

Cheganos não reagiram bem à atribuição do prémio internacional Front Line Defenders a Mamadou Ba

Mamadou Ba, dirigente da organização SOS Racismo, foi distinguido com o prémio internacional Front Line Defenders, atribuído a ativistas de direitos humanos em risco.
A organização irlandesa de defesa dos direitos humanos com duas décadas de existência, justificou a distinção com a sua dedicação à luta antirracista.
Mamadou Ba, que tem sido alvo de ataques atribuídos à extrema-direita e ao movimento neonazi, recebeu em 2020 uma carta com uma ameaça de morte e uma bala, e desde junho de 2021 a sede do SOS Racismo, em Lisboa, já foi vandalizada duas vezes com cruzes suásticas e insultos racistas. Como seria de esperar os Cheganos não reagiram bem à atribuição do prémio.
Patrícia Carvalho, vogal da Direção, publicou a notícia e escreveu:

Atribuir este prémio a alguém que defendeu a morte do “homem branco” diz muito da sociedade em que vivemos e do futuro – eu diria negro mas seria acusada de racismo – que nos espera

Luc Ngambo Ngunda Mombito, assessor pessoal de André Ventura, mostrou a sua indignação em várias páginas:

Em Portugal podes apelar à morte do branco, insultar a História de Portugal, mijar sobre as campas de quem deu o seu sangue para que 1 preto do Senegal vivesse a liberdade que NUNCA teria na sua terra, e mesmo assim, ser premiado como ACTIVISTA DOS DIREITOS HUMANOS!🤡🤡

PODE QUERER VER TAMBÉM:

Luc Mombito, que foi vítima de Racismo mas participou em manifestações a negar Racismo, regressou ao Twitter

Faz hoje 26 anos que um grupo de Skinheads neonazis assassinaram por Racismo

André Ventura incentiva o Racismo nas suas páginas e do Chega? “Mais um Post de incitamento ao ódio”

Partilhe

Leave a Reply