André Ventura, Cheganos Oficiais, Contradições do Chega

André Ventura critica Ministra da Justiça mas é acusado de fazer o mesmo no Chega

André Ventura criticou na sua página a decisão da Ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, de nomear uma Adjunta sua para um dos lugares mais importantes do Ministério Público, mas não ficou sem resposta. Jorge Moreira Pires, ex-Líder do Chega do Porto, questionou a falta de credibilidade do líder do Chega, por este fazer o mesmo no seu partido.
André Ventura escreveu na sua página no Facebook para criticar a nomeação:

A Ministra da a justiça nomeou uma adjunta sua para um dos lugares mais importantes do Ministério Público. Isto é o Governo a querer controlar a justiça. Como poderemos confiar?

Jorge Moreira Pires respondeu à mensagem, acusando André Ventura de fazer o mesmo:

Caro André
O que a ministra fez, foi uma cópia do que tu fizeste no chega, com a eleição do teu assessor para Conselho de Jurisdição nacional, e QUERIAS fazer na eleição da Mesa nacional com outro dos teus assessores.
Querias controlar tudo de forma a não teres oposição.

Jorge Pires, que se tinha demitido da liderança da Distrital do Porto em março de 2020, após uma moção de censura da comissão política local, pediu a desfiliação imediata da militância do Chega depois de André Ventura ter divulgado a nova diretiva que ameaçava com suspensão militantes que critiquem o partido.
No inicio de dezembro de 2020, Jorge Pires justificou a sua atitude com o facto de não se identificar com o rumo do partido nos últimos meses: “a lei da rolha é intolerável”, e por saber por fonte oficiosa que era um dos alvos da diretiva:

Num país democrático, a tentativa de unanimismo de opinião e a perseguição a quem se atreve a criticar o rumo negativo que o partido está a tomar é intolerável.

Citado pelo Expresso, Jorge Pires lamentou ainda que André Ventura “dê mais ouvidos a quem faz fretes e não a quem faz críticas construtivas internas”.

Partilhe

Leave a Reply