Cheganos Oficiais, Humberto Baião

Secretário da Direção do Chega em Évora diz que os autarcas do partido vão provocar a queda do Chega

Humberto Ventura Palma Baião voltou a publicar no seu Blog, desta vez para extrair texto da Moção – “PORTUGAL A ECONOMIA A ESPERANÇA O FUTURO”, moção que não foi ao III Congresso do partido liderado por André Ventura e que deveria ter sido apresentada pelo próprio.
O ex-candidato do Chega à Câmara Municipal de Évora, que vai apresentar uma candidatura independente do partido, afirma que há “focos problemáticos distritais e concelhios que fustigam o Chega um pouco por todo o país, e devido à existência em muitos deles de um deficit de democracia, de imparcialidade, de isenção e de experiência politica, fácil se torna concluir que a fasquia deveria ter sido colocada muito mais alta, ou o CHEGA não passará da breve colheita de um flash”.
O ainda Secretário da Comissão Politica da Direção do Chega em Évora, militante Nº 6085, alerta para a “gente impreparada” que pode provocar “centenas, senão milhares de impugnações dos precipitados, impulsivos, irreflectidos e transviados actos das administrações Chega, as quais encherão tribunais mas sobretudo inviabilizarão o normal funcionamento de quaisquer autarquias”
Humberto Baião diz que os quadros do Chega não estão preparados para a função e a sua ação será mais perniciosa que benéfica para o concelho, e que a curva ascendente do Chega virará uma curva descendente, de tal forma que muito dificilmente o Chega recuperará duma queda assim.
Afirma também que o Chega faz da ética letra morta, seguindo as pegadas de Teresa Guilherme, que disse: “Não dar a ética de comer a ninguém”, e que vai sair caro ao partido de André Ventura não se ter dedicado a causas e problemas estruturais, a problemas globais. Termina com a frase “Tanta correria para nada”.
Mensagem completa em mentcapto.blogspot.com

Partilhe

2 Comments

  1. Dr.Antonio Lameira

    VOCÊS SÃO ANTIDEMOCRATICOS, ADEPTOS DO PENSAMENTO UNICO ESQUERDALHA DO PIOR A DENEGRIR UM PARTIDO, O UNICO QUE VOS FAZ SOMBRA, PAGOS POR QUEM? PELO SISTEMA? INUTEIS E TRISTES FIGURAS, MELHOR SE CONTRIBUISSEM COM IDEIAS, MAS PARA TAL SERIA NECESSARIO TER IDEIAS E INTELIGÊNCIA…

  2. 710 – SAIR PELA PORTA GRANDE ……….

    Humberto Baião disse quarta-feira, 9 de junho de 2021 :

    https://mentcapto.blogspot.com/2021/06/710-sair-pela-porta-grande.html

    Minhas caras amigas, meus caros amigos, compatriotas, conterrâneos, eborenses.

    Aproximo-me hoje de vós para vos confessar quanto amo a nossa Pólis, e vos garantir quanto me enobrece servi-la na condição mais nobre, a de apaixonado p’la civitas.

    A condição de candidato envolve e exige nobreza de carácter, foi essa condição que me levou hoje a sentar-me numa profunda reflexão, caneta na mão para, preto no branco, vos garantir que Évora para mim estará sempre primeiro, e a confessar-vos que a nossa Pólis é para mim como para todos vós uma Mui Nobre e Leal Cidade, devendo merecer-nos todo o respeito e amor.

    Nobreza de carácter, civismo, urbanidade, três adjectivos que me habitam e estruturam o carácter, que são forma e conteúdo da complexa personalidade que me anima, elementos da alma inseparáveis da minha práxis e, portanto incontestáveis, insubstituíveis e inegociáveis. Não enfermo de qualquer tipo de apego ao poder.

    Sempre fui mais exigente e intransigente comigo que com os outros e o artificialismo, tanto quanto o amadorismo, não me seduzem. Gosto de manter e apresentar tanta constância quanta possível, tanta verticalidade quanta a elevada formação que me caracteriza e enforma.

    Não me peçam nem exijam flexibilidade nestes items, nem militância solicitando adaptabilidade ou contorcionismo nestes tempos em que tudo é ou parece descartável. Estes tempos não são o meu tempo, esta não é a minha praia, nem sequer a minha onda. Tenho um sonho, mas não matar e esfolar, como digo no meu curriculum, sou um reformista, não um revolucionário.

    Alimentar questiúnculas, animar intrigas ou eleger subjectividades como o deus dos nossos dias nunca fizeram e jamais farão parte de mim, são atributos não valores, eu primo pela coragem, pela verdade, pela justiça, pela compaixão, pela dignidade, pela humildade. Creio firmemente serem estas as qualidades que devem ser ou devem definir carácter e liderança.

    Gosto de manter a elevação de carácter habitual e a que vos habituei, p’lo que jamais transigirei com os espíritos mesquinhos nem com os pequenos gnomos que habitam a floresta em que se tornou o presente. Foram esses nobres atributos que encontrei naqueles que, embora por pouco tempo constituíram a minha lista, e a quem devo o mais profundo respeito, admiração pela coragem, e uma enorme gratidão.

    É insuperável e inultrapassável o confronto surgido entre mim e as estruturas locais do partido a que ainda pertenço. Quer a cidade de Évora quer os eborenses merecem todo o meu respeito e, como tal retirei a minha candidatura uma vez que não existem ou deixaram de existir entre nós as condições e confiança mínimas e necessárias para que a mesma tivesse continuidade.

    Lamento por Évora e p’los eborenses. A inexperiência política faz-se pagar bem cara, lamento que a inexperiência de alguns esteja a dar de bandeja e bem antes de tempo a vitória à oposição, quando essa guerra nem tinha ainda sequer começado.

    Os que me temiam ou não me aceitavam podem agora dormir descansados, aos que se encolheram com medo de me apoiar recomendo que comprem um cão, aos que me encorajaram reitero a minha gratidão, os que me encorajaram e apoiaram mas tiveram medo de me dar um apoio aberto poderão agora dormir enrolados nas suas contradições mas não de consciência tranquila, lembremos neste caso Martin Luther King, “O que mais me preocupa não é tanto o grito dos maus, mas o amedrontado e envergonhado silêncio dos bons”…

    Ah ! E os que querem mudar Évora sem que contudo nada mude poderão continuar confortavelmente sentados mas recordem Sá Carneiro; “a política sem risco é uma chatice, mas sem ética é uma vergonha” … Foi isto que com ele aprendi e dele recordo, como atrás vos recordei de Martin Luther King, as sábias palavras do pastor Niemöller.

    Sou de antes quebrar que torcer e sempre acreditei ser Deus e o destino a moldar as nossas vidas. Como sempre continuo de cabeça erguida, e lembremo-nos que a luta continua, que Évora merece o melhor, sendo por isso que devemos lutar, mas lutar todos os dias, a qualquer hora e em qualquer lugar.

    Não tem grandeza quem dobra o joelho ante os pequenos. Nasci destinado a grandes obras, não para os pequenos dichotes, para os boatos, para a vacuidade, para a infantilidade ou impunidade que tanta gente nos nossos dias enverga.

    Considero-me um político, um homem da pólis, e nunca virarei costas a Évora nem aos eborenses. Um percalço não é uma morte, é somente um contratempo. Há que lutar por um mundo melhor e é na nossa terra que o devemos fazer, é por ela que devemos começar.

    Não vos direi até sempre, direi até qualquer dia, contem comigo, como eu conto com aqueles com quem devo contar e já contei, com aqueles que eu sei, aqueles com quem quero contar, e com todos aqueles que estiverem disponíveis para lutar.

    Com consideração,

    Humberto Ventura Palma Baião

Leave a Reply